Grupo Cultural Luz do Amanhecer

GRUPO CULTURAL LUZ DO AMANHECER

PASTORIL

HISTÓRIA do PASTORIL
O Pastoril é uma encenação folclórica, que está entre as quatro grandes manifestações populares do Nordeste. Trata-se de uma representação profana da Natividade (Natal, nascimento de Jesus). 
ORIGEM
A origem do Pastoril está também vinculada aquele teatro religioso semipopular ibérico, já que tanto na Espanha quanto em Portugal, as datas católicas se transformaram em festas eclesiásticas e ao mesmo tempo em festa popular.
Segundo diversos autores, desde tempos muito antigos até o final do século XVI, são representadas peças de um ato relativas ao Natal, Reis, Páscoa, etc., numa mistura de elementos pastorais e alegóricos, de bailados, textos e canções.
 O PASTORIL EM PERNAMBUCO 
É curioso observar que nos séculos XVII e XVIII, os estudiosos não encontram referências importantes sobre o pastoril na Colônia mas já no século XIX, concordam que houve abundância dos bailes pastoris, principalmente no Nordeste e notadamente, em Pernambuco e na Bahia, com publicações de textos, a exemplo de Sylvio Romero e Pereira da Costa.
Aonde jovens vestidos como pastorzinhos e pastorinhas cantam músicas em louvor a Nosso Senhor. São divididos em dois cordões, o azul e o encarnado, o que acaba gerando uma disputa de cores entre os partidos de cada cordão.
Encontramos também no Pastoril personagens alheios à real história do Natal, para enriquecer a encenação e divertir o povo. São eles a Diana, que representa as duas cores, o Pastor, o Anjo, Luzbel (que é na verdade o Demônio), a Borboleta, a Camponesa e a Cigana.
AS PERSONAGENS
A Mestra, a Contramestra, Diana, a Camponesa, Belo Anjo, a Cigana e as simples pastoras.Dois partidos vestidos de cores diferentes, dois cordões disputam as honras de louvar Jesus Menino.
Belo Anjo
A contra-Mestra
Cigana

As Dianas
Florista
Camponesa
A Mestra














Como espetáculo popular, o pastoril perdeu muito de sua popularidade, e hoje encontramos poucos grupos que ainda animam os bairros nos tablados armados na praça, ou como dizem: "não há mais pastoril de ponta-de-rua", com sua alegria irreverente. E naturalmente, perdeu sua função social.





 A letra da música do pastoril
Boa-noite, meus senhores todos
Boa-noite, senhoras também;
Somos pastoras
Pastorinhas belas
Que alegremente
Vamos a Belém.
Sou a Mestra
Do Cordão encarnado
O meu cordão
Eu sei dominar
Eu peço palmas
Peço riso e flores
Ao partidário
Eu peço proteção. 
Sou a contramestra
Do cordão azul
O meu partido
Eu sei dominar.
Com minhas danças
Minhas cantorias
Senhores todos
Queiram desculpar

Conclusão
Como espetáculo popular, o pastoril perdeu muito de sua popularidade, e hoje encontramos poucos grupos que ainda animam os bairros nos tablados armados na praça, ou como dizem: "não há mais pastoril de ponta-de-rua", com sua alegria irreverente. E naturalmente, perdeu sua função social.

Cidade do Frevo

Loading...

Outras Reportagens

Loading...
Loading...